Reutilização de contêineres garante economia de 40%

Uma pesquisa apontou que a utilização de contêineres que desembarcaram mercadorias para a exportação logo em seguida pode gerar uma redução de até 40% nos custos de logística. O estudo foi realizado na Faculdade São Vicente (Unibr), com foco nas operações do Porto do Santos. Com a prática sugerida, os contêineres não retornariam vazios aos portos de origem.

Contêineres Porto Santos economia 40

O projeto, realizado pelo aluno de pós-graduação em Logística Marcos Farias, foi finalizado em abril deste ano. “Numa economia cada vez mais globalizada e competitiva, cada vez mais otimizada e enxuta com relação a custos logísticos, é inevitável a busca por soluções que tragam resultados, não só pela localização geográfica, incentivos fiscais e mão de obra mais barata, como por modelos de gestão inovadores”, destacou o profissional.

Essa operação com os contêineres é chamada “round trip” (viagem de ida e volta, em tradução livre). Nela, em todos os trajetos, os contêineres estão carregados. O veículo nunca se desloca sem levar carga e participa, consecutivamente, do processo de exportação e importação.

Esse processo aumenta a produtividade da frota logística, reduz custos com um menor número de viagens e redução de gastos com manutenção. Adicione à conta uma melhor eficiência ambiental.

A pesquisa analisou o transporte de cargas entre o Porto de Santos e a Região Metropolitana de São Paulo. Segundo o estudo, o exportador reduz os gastos em R$ 654 por contêiner movimentado a cada viagem. No ano, são R$ 2.589.840 de economia.  “Além disso, contribui na agilidade, nos prazos acordados nas transações comerciais e, também, na estatística anual da empresa, ao diminuir os resíduos sólidos, a poluição do ar, os ruídos e os acidentes em toda cadeia produtiva, trazendo benefícios tangíveis e intangíveis para a empresa”, destaca Farias.

Mesmo com as vantagens, ainda existem alguns desafios para a expansão da prática. O pesquisador destaca que encontrar empresas com interesse e implementar a metodologia não é fácil, já que é necessário que elas atuem tanto na importação como na exportação.

O estudo analisou uma montadora de veículos pesados. Em 2014, a empresa movimentou 7 mil contêineres com partes de automóveis para importação e exportação. Do total, 60% para desembarque e 40% de embarques. Em média, foram 20 caixas metálicas de importação por dia e 15 para exportação. Essa quantidade próxima permite que a empresa aproveite a maior parte dos contêineres nas viagens de ida e volta para o Porto.

Os serviços contratados separadamente, entre Santos e São Bernardo do Campo, custariam por volta de R$ 2.390, com R$ 1.240 o custo da importação e R$ 1.150 no transporte para a exportação. No modelo round trip, o custo seria próximo a R$ 1.700.

Informações: A Tribuna

Logística e imagem de marcaPowered by Rock Convert
Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

2 Comentários

  1. Avatar Anne disse:

    Cargo Analista Logística

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

17 − dezesseis =