CNI aponta que Sudeste precisa de R$ 63 bi para logística

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) publicou um estudo que indicou que o Brasil desperdiça cerca de R$ 30 bilhões todos os anos por utilizar rotas logísticas em condições precárias no transporte de mercadorias. O estudo foi realizado em parceria com a consultoria Macrologísitica, que fez o levantamento dos custos de transporte de empresas nas atuais rodovias, ferrovias, portos e hidrovias nacionais.

cni sudeste logistica 01

Somente para a região Sudeste foram apontados oito projetos de transporte que fariam o país economizar R$ 10 bilhões por ano, cerca de 5% dos gastos totais previstos. No total, a região precisa de investimentos da ordem de R$ 63,2 bi.

Quatro deles já são de modernizações de estruturas já existentes. São elas a BR-153 Sul – Goiás via Ourinhos (SP), Ferrovia ALL – Mato Grosso a Santos (SP), BR-050 – Brasília (DF) a Santos (SP), BR-116 Sul-Nordeste – Via Dutra e Rio de Janeiro.

Os novos projetos incluem a construção que ampliariam a estrutura de escoamento dos principais produtos que passam pela região, como o minério de ferros, grãos e combustíveis. As obras consideradas (listadas abaixo) constam nos planos há pelo menos uma década, mas a falta de recursos e a burocracia dos processos contribuíram para que não saíssem do papel.

cni logistica sudeste competitivo

Novas Obras

Ferrovia EF 354: Anápolis (GO) – Ipatinga (MG) – Açu/Central (RJ) – Economia anual de R$ 3,552 bi

Mineroduto Ferro: Morro do Pilar (MG) – Naque (MG) – Linhares (ES) – Economia anual de R$ 1,151 bi

Ferrovia: Grão Mogol (MG) – São Mateus (ES) – Economia anual de R$ 2,83 bi

Ferrovia MRS e Estrada de Ferro 118: Suzano (SP) – Vitória (ES) – Economia anual de R$ 372 mi

A nova pista da Via Dutra, que foi anunciada em agosto como projeto do PIL 2, deve ter suas obras iniciadas no ano que vem. Segundo Wagner Cardoso, gerente-executivo de infraestrutura da CNI, afirmou que o objetivo do órgão com o estudo é colaborar com o governo no planejamento da logística brasileira.

Foram mapeadas 86 obras consideradas urgentes para otimizar o escoamento da produção do Sudeste nos próximos cinco anos. De todas as obras, apenas 16 estão em andamento. As 70 restantes estão em fase de projeto ou planejamento.

Os investimentos para a modernização e integração do sistema logístico de Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, com projeto de ferrovias (32), rodovias (31), portos (22) e duto (1).

O estudo cita alguns casos de emergência, como trajeto da BR-262 entre Bela Vista e Belo Horizonte (MG), que recebe 32% mais carga do que sua capacidade em horários de pico.

Outras regiões

A situação das outras regiões não difere muito; todas precisam de intervenções urgentes em seus sistemas de logística.

cni sudeste logistica investimentos

Um caso de destaque é a ligação entre Mato Grosso e Pará pela BR-163. O projeto tem potencial de reduzir gastos de R$ 2,2 bilhões por ano, com a possibilidade do abastecimento do Norte com cargas do agronegócio e o transporte de produtos industrializados para o sul do país.

As reformas dos portos do Nordeste também são consideradas de grande valia, principalmente pela possibilidade de ampliar o potencial da cabotagem, transporte de cargas pela costa brasileira.

Brasil

A CNI analisou 337 obras de ampliação e modernização de portos, aeroportos, ferrovias, rodovias, hidrovias e dutos, cujo investimento total é de R$ 219,1 bilhões até 2020 em todo o Brasil.

Informações: Folha e G1

Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

1 Comentário

  1. Avatar Diego disse:

    Olá,
    Gostaria de saber se a Natura possui algum sistema de classificação de importância de seus produtos para uma possível elaboração de uma curva ABC.

  2. Avatar Alfeu Santos disse:
    Seu comentário está aguardando moderação. Esta é uma pré-visualização, seu comentário ficará visível assim que for aprovado.

    Gostaria de saber se os governos atuais, principalmente o Federal, tem acesso aos projetos qie nao sairam do papel por falta de recursos, e se ele tem algum interesse em desenvolver tais projetos?

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 3 =