Cuidados na logística do transporte de medicamentos

O transporte de medicamentos tem particularidades que normalmente não existem no transporte de produtos “comuns”. Isso ocorre devido a esses medicamentos terem sensibilidade às variações de iluminação, umidade e temperatura, por exemplo. Sendo assim, é fundamental manter um cuidado com a qualidade no manuseio, armazenamento e envio para que os remédios ainda sejam eficazes quando chegam ao consumidor.

Cuidados na logística do transporte de medicamentos | Blog Logística

Pensando na importância que essas operações de transporte têm para garantir a saúde e o bem-estar dos clientes, elaboramos o artigo de hoje para explicar melhor o assunto. Continue a leitura para saber como funciona a distribuição e os cuidados que devem ser tomados durante o transporte.

Existe alguma exigência legal específica para esse tipo de transporte?

Não existe uma lei específica que regulamenta o transporte de medicamentos. Entretanto, existem algumas normas e fiscalizações que devem ser cumpridas nas operações a fim de averiguar se as empresas estão em conformidade com as exigências.

Nesse caso, a responsável por esse controle é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ela tem um manual chamado de Boas Práticas no Transporte de Medicamentos que visa orientar operadores logísticos e transportadoras a respeito das condições adequadas do armazenamento, acondicionamento, movimentação e distribuição.

Quais cuidados devem ser tomados no transporte de medicamentos?

Como já se sabe, o transporte de produtos farmacêuticos não segue os mesmos padrões de outros itens e ainda precisa atender aos requisitos básicos que a Anvisa determina. Confira, nos tópicos a seguir, alguns cuidados que devem ser observados durante todo o processo.

Gestão de estoque

A garantia de qualidade dos produtos já deve começar antes mesmo da etapa do transporte, principalmente quando se trata de um operador logístico, que também é responsável pelas operações de armazenagem — pois, de nada adianta estruturar a distribuição e alcançar excelência, se não existe o mesmo cuidado no estoque, prejudicando a eficácia dos remédios.

Portanto, o ideal é que o armazém conte com câmaras frias, para garantir a temperatura adequada aos produtos que são termossensíveis, como:

  • vacinas;
  • insulinas;
  • quimioterápicos.

Além disso, também é necessário considerar a necessidade de cada grupo de medicamentos, que podem exigir temperaturas mais baixas (como vacinas e insulinas que devem estar em ambiente entre 2ºC e 8ºC). De qualquer forma, o ideal é que, mesmo os itens que não demandam a refrigeração, sejam acondicionados em temperaturas de até 25ºC.

Profissional farmacêutico

O distribuidor que atua com transporte de medicamentos deve contratar um farmacêutico e ainda conseguir o Certificado de Regularidade do Conselho Regional de Farmácia — exigido pela Anvisa. Isso é necessário para obter autorização de funcionamento e a emissão de licença necessária para o exercício dessa atividade.

O farmacêutico será responsável por identificar as necessidades do produto, o que envolve as características de conservação, o acondicionamento adequado dentro do veículo, higiene e limpeza dos ambientes. Ele também evita que esses medicamentos entrem em contato com outros itens, que podem ser tóxicos ou radiativos.

Além disso, o processo de recebimento das cargas deve ser feito com o acompanhamento de um profissional capacitado (de preferência o farmacêutico do estabelecimento) e no caso de qualquer inconformidade que surgir, deve haver devolução para o fornecedor.

Embalagem

O processo de embalar os produtos também deve ser feito adequadamente, a fim de evitar avarias e outros problemas. O ideal é que as caixas utilizadas tenham o tamanho certo — evitando que fiquem justas demais (correndo o risco de rasgar) ou grandes demais (podendo causar danos com a movimentação).

Também é preciso atentar para a questão da necessidade de recipientes especiais para determinados itens, como é o caso da utilização de caixas de isopor para manter a temperatura necessária.

Veículos adequados

Outro aspecto muito importante é a utilização de veículos adaptados para realizar o envio dos produtos farmacêuticos. Existem casos em que é necessário usar baú refrigerado (principalmente em longas distâncias) e outros em que apenas o uso de minicontêineres ou caixas de isopor já é suficiente (em curtas distâncias).

É preciso, também, avaliar as exigências dos clientes, que podem demandar veículos refrigerados pela possibilidade de registrar a variação de temperatura ao longo da viagem e ter uma garantia maior de que os níveis serão mantidos dentro da faixa considerada ideal.

Planejamento de rotas

A logística do transporte de medicamentos envolve mais do que a qualidade das embalagens, temperatura ou separação de outros produtos: também é preciso pensar na rota que será executada para enviar os produtos — principalmente quando existe urgência na entrega.

As rotas são definidas com cuidado, com preferência por vias de melhor qualidade para evitar acidentes com o veículo e a carga. O transportador deve ter em mente a possibilidade de congestionamentos em rodovias ou em regiões de mudanças de modal logístico, como portos e aeroportos.

Considerando-se as temperaturas altas de muitas regiões brasileiras, o tempo parado em engarrafamentos pode ser crítico nas operações. Ainda há outros fatores de risco como roubos e assaltos.

Isso se torna um desafio ainda maior considerando a baixa qualidade de muitas rodovias brasileiras.

Opções de modais de transporte

Dependendo da particularidade do produto ou da urgência na entrega, é possível que as empresas tenham que optar pelo modo aéreo para realizar o transporte. Apesar de ser mais caro, ele assegura que as entregas serão feitas em menor tempo hábil.

Rastreamento das cargas

O monitoramento do transporte também é crucial para que as operações sejam bem-sucedidas. Ele ajuda a verificar o cumprimento das rotas que foram planejadas e a monitorar os status das entregas. Também é importante para ajudar a garantir que a segurança dos produtos esteja sendo mantida durante todo o percurso.

Além disso, caso ocorra algum incidente como falha mecânica do veículo ou furtos e roubos, a central pode ter ciência imediata dessas ocorrências (por meio do monitoramento em tempo real) e agir imediatamente, tornando as ações mais eficazes — ou ajudando a polícia em caso de crimes.

O mercado de produtos farmacêuticos é muito bom, principalmente por ter uma demanda regular e não sofrer com a sazonalidade. Para empresas que resolvem fazer o transporte de medicamentos, é um nicho que pode trazer excelente retorno, apesar de todos os cuidados que devem ser tomados e o cumprimento das exigências feitas pela Anvisa.

O que achou do artigo de hoje? Ainda ficou alguma dúvida sobre o tema? Então aproveite e entre em contato conosco para esclarecer questões relacionadas à logística.

Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

7 Comentários

  1. Avatar Alexandre Marques disse:

    Olá qual modal devo usar para transportar medicamento para Argelia e nesse pais e melhor usar caminhão ou tem outra opção e também tem o clima e muito quente.

    Atenciosamente.

    Trabalho para faculdade

  2. Avatar Uboracimar disse:

    Bom dia, você tem algum artigo que fala sobre transporte aéreo de medicamento.

  3. Avatar IOliveira disse:

    Bom dia , Tudo bem ? Caso tenha alguma referencia de rotas e perímetro considerados “seguro ” para sustentar o planejamento de rotas e critérios de reintegração ao estoque.
    Desde já agradeço

  4. Avatar IOliveira disse:

    Parabéns pelo site !
    Bom dia , Tudo bem ? Caso tenha alguma referencia de rotas e perímetro considerados “seguro ” para sustentar o planejamento de rotas e critérios de reintegração ao estoque.
    Desde já agradeço

  5. Avatar jhones santana rogassiano disse:

    voçes agregam fiorino ano 2012 carga seca

  6. Avatar José Alfinete disse:
    Seu comentário está aguardando moderação. Esta é uma pré-visualização, seu comentário ficará visível assim que for aprovado.

    Pretendo elaborar um plano de transporte do deposito Provincial para os distritos, tenho dificuldade.

  7. Avatar Gustavo disse:
    Seu comentário está aguardando moderação. Esta é uma pré-visualização, seu comentário ficará visível assim que for aprovado.

    Gostaria de saber se agregam Fiorino para entrega de medicamentos no interior do Estado do Rio de Janeiro, especificamente área de Paraíba do Sul, Tres Rios, Vassouras, Paty do alferes e Miguel Pereira

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

treze − 1 =