O que é e como funciona o Planejamento de Distribuição (DRP)?

Quando pensamos sobre o que é distribuição, pode ser difícil compreender como a sua execução tem impacto em diversos cenários. Você já se deparou com uma situação na qual faltam produtos na prateleira enquanto os centros de distribuição possuem quantidades mais do que suficientes para atender à demanda dos clientes?

o que é distribuição

Essa é uma situação comum encontrada no ambiente de fabricantes e distribuidores. Como empresa, é importante entender que isso pode acontecer por diversas razões, entre elas, por causa de um planejamento inadequado e da falta de comunicação entre as áreas.

Uma das soluções para esse problema pode ser a utilização do método de planejamento de distribuição (DRP). Quer saber mais detalhes sobre o assunto? Então continue a leitura deste post!

O que é distribuição logística?

Esse é um ramo da administração que se dedica à gestão de insumos, materiais e produtos usados para abastecer desde a linha de produção até a comercialização de mercadorias aos clientes. Desse modo, a distribuição está envolvida em todos os elos da cadeia de suprimentos, como parte fundamental do sucesso desse processo. Para isso, são tomadas diversas decisões, como:

  • o dimensionamento da frota;
  • a escolha do modal de transporte;
  • a criação de rotas de entrega mais ágeis;
  • o planejamento das etapas de atendimento dos pedidos;
  • a ocupação do veículo para melhor aproveitamento do espaço.

Para isso, é essencial contar com estratégias capazes de otimizar os resultados. É por isso que o modelo de gestão proposto pelo DRP tem conquistado espaço nas empresas e contribuído para melhorar a gestão de produtos dentro de armazéns e galpões.

O que é o planejamento de distribuição?

O termo planejamento de distribuição tem origem na expressão em inglês distribution requirements planning. A sigla DRP também é usada para descrever uma ferramenta que é usada para coletar e processar informações relevantes sobre a operação de vendas.

Com os registros das transações entre clientes e fabricantes, é possível auxiliar na elaboração de uma previsão das necessidades futuras da empresa. Assim, organiza-se o processo de distribuição, garante-se a disponibilidade de estoques e o atendimento das demandas. O seu objetivo é obter o equilíbrio entre a disponibilidade de itens, a venda e o volume de compras do mercado. Com isso, é possível prevenir a ruptura do estoque, que ocorre quando não há mercadorias disponíveis para atender aos clientes no momento da compra.

A situação oposta, quando há excesso de produtos, também pode ser evitada e minimiza o prejuízo das empresas por causa de mercadorias paradas nas prateleiras. Além disso, é importante destacar que esse modelo pode ser usado em diversos setores, como varejo e indústria de eletrônicos.

Como funciona o planejamento de distribuição?

Para as empresas que têm interesse em implementar o planejamento de distribuição, é fundamental destacar que esse processo deve ser executado por meio de três etapas distintas. Cada uma delas tem o objetivo de reformular a execução das atividades e, para isso, requer o investimento em tecnologias que automatizam a gestão de materiais e mercadorias.

Primeira etapa

A primeira etapa consiste no levantamento dos produtos que já estão disponíveis no centro de distribuição e nos pontos de venda. Essa iniciativa pode ser colocada em prática por meio da contagem manual ou conferência do sistema, se estiverem disponíveis.

Com base nas informações catalogadas, é possível tomar decisões relacionadas à previsibilidade da demanda, ao número de ordens pendentes e à quantia de produtos em estoque disponível para expedição. Além disso, são gerados indicadores importantes, como:

  • a produção pendente;
  • o lead time dos pedidos;
  • a frequência e o prazo de entrega;
  • a determinação das quantidades mínimas para compra, armazenagem e distribuição.

Segunda etapa

Depois que os dados são inseridos no sistema, o DRP cria um modelo que ajuda a estabelecer os recursos necessários para criar estratégias logísticas bastantes completas e abrangentes.

Desse modo, o gestor é capaz de identificar os produtos que têm maior saída e as localidades em que a sua procura é mais significativa. Esse é um meio de antecipar a real necessidade de investimentos em estoque, o que ajuda a planejar as atividades da área de suprimentos para estabelecer o nível de compras de cada tipo de produto. Essa é uma medida que também afeta a capacidade de transporte necessária para a distribuição, principalmente em períodos de sazonalidade ou oscilação da procura.

Terceira etapa

Depois de concluir a análise, o planejamento de distribuição fornece um comparativo entre o que os fornecedores oferecem e os recursos necessários — além das potenciais demandas futuras. Em seguida, a ferramenta recomenda as estratégias e ações que devem ser adotadas para garantir a aquisição (ou produção) ideal de produtos, alcançando o equilíbrio entre oferta e demanda (e evitando problemas de faltas e excessos nos pontos de vendas).

Assim, o planejamento de distribuição é essencial para garantir um bom controle da disponibilidade dos produtos, otimizando os processos do CD, ao mesmo tempo que traz melhorias para as unidades que lidam diretamente com o atendimento aos clientes.

Por que o DRP é tão importante na operação de transportes?

É o DRP que ajuda na distribuição eficaz dos produtos, organizando os envios entre o centro de distribuição até os pontos de venda. Em outras palavras, ele permite compreender diversos elementos da operação de transportes e soluciona problemas que interferem no atendimento ao consumidor.

Possibilita a redução de custos

Não há iniciativa de melhoria do processo de distribuição que não envolva a busca por uma operação mais econômica e eficiente. Nesse caso, estamos falando de uma otimização dos níveis de estoque, o que, em contrapartida, resulta na diminuição da necessidade de imobilização de recursos financeiros.

Essa medida também ajuda a evitar perdas quando os produtos permanecem armazenados por longos períodos, minimizando, assim, eventuais avarias e o descarte por causa da data de vencimento.

Contribui para a otimização de rotas

A metodologia DRP ajuda a compreender a relação entre os pontos de venda e os seus respectivos clientes. Essa otimização soluciona o problema da falta de mercadorias em certas regiões, enquanto outras localidades têm itens excedentes. Desse modo, é possível traçar rotas para levar os produtos com menores prazos até os locais onde há maior demanda.

Propicia mais visibilidade de todo o processo

Essa metodologia ajuda a responder questões básicas quanto à frequência de reposição de cada ponto de venda, ao prazo para envio dos produtos e ao fluxo de materiais nos centros de distribuição. Nesse cenário, é possível equilibrar a circulação de mercadorias para evitar a armazenagem de quantias excedentes ou a falta de artigos para a venda.

Quando a sua empresa está enfrentando problemas, esse é o momento ideal para conhecer o que é distribuição e as funcionalidades que podem otimizar os resultados em curto prazo.

Conseguiu entender como funciona o planejamento de distribuição? Então acompanhe a LOG CP nas redes sociais e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Logística e imagem de marcaPowered by Rock Convert
Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

PUBLICADO EM Mercado TAGS:

0 Comentários

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze − treze =