Operações Logísticas Turbulentas ou “Nervosas”

LOG CP filia-se ao GBC, Green Building Council

Algumas épocas do ano são especialmente críticas para as empresas. Final de ano (Natal e Ano Novo) para quase todas, mas podemos citar dias comemorativos como dias das crianças, dos pais, das mães, páscoa, etc, sem falar agora dos eventos esportivos que iremos receber e que certamente mudarão sobremaneira a maneira de operar de muitas empresas – seja pela entrega ou recebimento de produtos ou seja pelo desalinhamento que esses eventos irão causar em toda a matriz de transportes no Brasil.

E aí, como se não bastasse a complexidade de se fazer logística no Brasil, nesses períodos a turbulência aumenta ainda mais. As operações ficam mais “nervosas” e todos os envolvidos mais estressados!

Mas há solução para isso? Não há como cancelar os jogos, suspender os feriados, e de qualquer forma esses períodos costumam ser muito importantes para as empresas que tem a possibilidade de faturar mais e atingir suas metas e objetivos. Desde, é lógico, que a logística ou a cadeia de suprimentos permitam. E sem dúvida, boa parte da transformação desses desafios em oportunidades está na cadeia de suprimentos e na logística.

Na última edição da Revista MundoLogística este foi o tema de capa e o autor (Paulo Roberto Bertaglia) comenta sobre os aspectos que deve-se levar em consideração para minimizar as turbulências ou nervosismo das operações. Vou comentá-los rapidamente:

1. Cada empresa necessita conhecer o seu mercado, saber com a maior precisão possível qual é a demanda deste mercado, conhecer sua concorrência e os períodos sazonais que pode enfrentar. Cada produto tem sua sazonalidade, cada mercado tem sua concorrência.

2. Seja na estratégia do modelo de distribuição, seja na estratégia de portfólio de produtos, é necessário que ela exista. Um modelo de distribuição bem pensado levará a níveis de serviço maiores principalmente nas épocas de turbulência. Também saber qual o portfólio de produtos que será oferecido dependendo da época do ano é fundamental.

3. Planejamento é necessário para que os períodos normais funcionem e fundamental para as épocas de sazonalidade. Pode parecer lógico, mas ter um planejamento consistente da cadeia de abastecimento não é tão simples, mas é necessário principalmente para atravessar com tranquilidade épocas de turbulência. Seja através do S&OP ou até mesmo em formas de planejamento mais simples, é necessário que ele exista. Um plano de vendas bem estruturado, alianças com clientes, alianças com fornecedores, estoques, visibilidade do processo, prever contingências, colaborar, entre outras atividades fazem parte do planejamento.

4. Estoques precisam ser muito bem planejados, e aí dependem, entre outros fatores, principalmente de um planejamento de demanda bem executado. Os estoques incorrem em custos, oneram o capital, ocupam espaços, necessitam de gerenciamento e podem se tornar obsoletos. Por isso o planejamento dos estoques precisam ser realizados por profissionais capacitados. Em épocas de forte demanda e grande nervosismo, se bem planejados, eles podem dar a tranquilidade necessária à empresa ou, caso contrário, se tornar o pesadelo dos gestores.

5. As pessoas são parte fundamental de qualquer processo. Entretanto em épocas de turbulência, funcionários bem treinados e principalmente dispostos fazem a diferença nas operações.

6. Sistemas de informação são cada vez mais parte integrante das operações logísticas, e além de auxiliarem desde o planejamento, são fundamentais também para prover informações sobre as entregas. Em operações nervosas, saber exatamente o que está ocorrendo é fundamental para poder tomar as providências antecipadas a um possível desastre.

Na edição de novembro/dezembro da Revista MundoLogística esses e outros prontos são tratados em detalhes pelo autor.

Para finalizar meu primeiro post, gostaria de agradecer ao convite dos organizadores para fazer parte deste excelente time que estará movimentando o blog. E desejar a todos os leitores um excelente ano.

Marco Antonio Guapo

Editor da Revista MundoLogística e Diretor da MAG Editora. Além da edição da Revista MundoLogística há 7 anos, realizou diversos eventos como o LogisTI Fórum, CD Fórum e o Prêmio FedEx Profissional e Projeto de Logística do Ano há 5 anos consecutivos.

0 Comentários

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!