Entenda como funciona a logística para alimentos perecíveis

A complexidade da logística para alimentos é um dos principais desafios desse setor. Lidar com as exigências para a segurança e preservação requer um planejamento estratégico que envolve toda a cadeia de suprimentos para que os produtos cheguem até as prateleiras dos supermercados.

Afinal, a qualidade dos alimentos de origem agrícola e pecuária é uma questão que afeta a saúde dos consumidores. Por isso, as práticas relacionadas à conservação das mercadorias em todas as etapas do transporte são fundamentais.

Para conhecer quais são as melhores práticas adotadas pelo setor, continue a leitura deste blog post. Confira!

Como acondicionar os alimentos adequadamente?

Para cuidar dessa atividade adequadamente, é preciso compreender que os alimentos trocam de embalagem conforme avançam no processo produtivo.

Frequentemente, os produtos alimentícios, após a colheita, são deslocados até centros de distribuição antes da etapa de beneficiamento. Os grãos, como arroz, feijão, milho e trigo utilizam sacos a granel. Já as etapas seguintes utilizam invólucros plásticos, que evitam o contato com o ar e ambiente externo para prevenir a contaminação e consequente deterioração.

Enquanto isso, os alimentos frescos estão suscetíveis a danos ocasionados durante o transporte devido à sua fragilidade. Esse é o caso das hortaliças e ovos que demandam embalagens resistentes para o seu acondicionamento e transporte.

Como gerenciar o armazém para preservar os produtos?

Geralmente, o escoamento da produção de alimentos depende de armazéns e centros de distribuição para manter os produtos antes do envio para o varejo. No caso de produtos industrializados, o método ideal de estocagem é chamado de Primeiro que Vence, Primeiro que Sai (PVPS).

Essa é uma tática de prevenção de perdas amplamente utilizada para garantir que os itens mais próximos da data de expiração sejam comercializados antes, independentemente da data de compra pelo distribuidor ou varejista.

Essa medida é vital para prevenir prejuízos e reduzir os custos referentes a mercadorias que já podem ser comercializadas devido ao seu vencimento.

Como preparar a operação logística para alimentos?

A movimentação das mercadorias é uma das etapas que mais requer cuidados para o transporte seguro dos alimentos. Entre as principais medidas de conservação, pode-se citar a utilização de:

  • câmaras refrigeradas;
  • paletes para movimentação dos lotes;
  • métodos de iluminação e ventilação adequados; e
  • cobertura para evitar a contaminação por agentes externos.

Após cuidar do acondicionamento dentro dos veículos, o deslocamento deve proceder com agilidade. Afinal, alimentos como hortifrútis e carnes têm a sua durabilidade bastante reduzida, portanto, uma rota prolongada não é ideal.

Por isso, a escolha do operador logístico responsável requer uma avaliação das qualificações e experiência para cuidar desde a fase de coleta até a entrega dos produtos perecíveis.

A principal dica para manter a eficiência e segurança desse processo é considerar as especificidades de cada produto. Assim, alimentos congelados, por exemplo, recebem o tratamento adequado para a sua conservação em todas as etapas da sua distribuição.

A execução da atividade de logística para alimentos é essencial para economia, escoamento da produção e saúde dos consumidores.

Se você está interessado em conhecer mais o planejamento da operação logística, aproveite e acesse o nosso conteúdo sobre a importância da roteirização para reduzir custos!

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

PUBLICADO EM Gestão TAGS:

0 Comentários

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!