Marketplace e logística: entenda a importância dessa relação

marketplace e logística

Nas últimas décadas, temos observado um crescimento do número de compras realizadas na internet. É uma tendência que permitiu a evolução das operações relacionadas à infraestrutura de software e dos meios de pagamentos, surgindo assim novas soluções em marketplaces.

Da mesma forma, os métodos adotados em e-commerce para a entrega de mercadorias precisaram se tornar mais eficientes, levando a relação marketplace e logística a novos patamares.

Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre a importância da logística para as operações dos marketplaces, ressaltando como ela pode ser otimizada a fim de trazer mais benefícios aos consumidores online e um retorno maior para os lojistas. Acompanhe!

Qual é a diferença entre loja virtual e marketplace?

Antes de avançarmos para otimização logística, vale a pena entender o que são marketplaces e como eles funcionam. De maneira geral, os marketplaces são plataformas virtuais do setor varejista que trabalham com a hospedagem de outras empresas que oferecem seus produtos.

As cadeias logísticas de distribuição eram formadas basicamente por indústrias, empresas atacadistas e lojistas. Contudo, a evolução das vendas online destacou os marketplaces como elo dessa cadeia, o que veio acompanhado de uma atualização nas tecnologias de comunicação entre compradores e vendedores.

Para entender um pouco mais a diferença entre lojas virtuais e marketplaces, é importante conhecer o funcionamento básico de suas cadeias produtivas. As cadeias produtivas geralmente atuam com a centralização e estocagem dos produtos desenvolvidos nas indústrias, em locais mais estratégicos, que simplificam o envio ao consumidor final.

Essa centralização é de responsabilidade do setor comercial, composto principalmente por atacadistas que distribuem os produtos para empresas varejistas, as quais são responsáveis por disponibilizá-los aos consumidores finais.

Cada um desses atores das cadeias produtivas é interligado pelas atividades logísticas, que são as responsáveis pelo trânsito de mercadorias. Porém, com o advento dos marketplaces, a sequência de distribuição de produtos é alterada, partindo da indústria para o atacado e chegando ao varejo, que executa as vendas por meio dos marketplaces.

O novo elo na cadeia de distribuição, embora não represente a mudança de propriedade das mercadorias, acrescenta mais uma etapa logística ao processo que pode ser assumido pelo lojista ou terceirizado para um marketplace.

Em resumo, a diferença entre loja virtual e marketplace é que a última reúne múltiplas lojas em um mesmo sítio virtual, proporcionando infraestrutura avançada em softwares, meio de pagamento e segurança para os lojistas.

Essas soluções também são excelentes formas de atração de potenciais consumidores por meio da ampla variedade de produtos. Esse novo cenário fez surgir, na prática, uma nova forma de vender, além de desafios que exigem atualização das ferramentas de controle e das tecnologias aplicadas à gestão logística.

Como otimizar a logística no marketplace?

O marketplace trouxe inúmeros benefícios aos lojistas, facilitando a construção de sua presença online e agregando visitantes contínuos. Com o crescimento da quantidade de vendedores internos, os marketplaces se empenham cada vez mais para facilitar o fluxo logístico e reduzir burocracias. Tudo isso contribui com processos mais ágeis e eficientes.

A logística também teve que oferecer tecnologias mais avançadas para otimizar suas operações e conseguir atender as demandas dos vendedores.

Essa busca por melhorias visa ampliar a lucratividade das atividades logísticas, permitindo que os marketplaces ofereçam uma estrutura mais robusta. Outra vantagem é que eles podem fornecer serviços próprios de armazenamento e transporte a pequenos e médios negócios hospedados nas plataformas.

Para aqueles que já estão nos marketplaces ou pretendem utilizá-los, é importante se atentar a questões importantes relacionadas à logística. A seguir, conheça 3 dicas valiosas sobre como otimizar a interação marketplace e logística.

Utilizar negociações existentes entre os marketplaces e transportadoras

Os melhores marketplaces do mercado possuem contratos com empresas transportadoras para agregar valor aos seus lojistas associados. Geralmente, essas parcerias envolvem planos especiais de envio e controle de entrega já adaptados a cada região.

Além disso, a quantidade de lojistas presentes em um marketplace também beneficia a diluição dos custos, pois esses acordos são ofertados tendo como uma de suas bases o número de participantes nas plataformas.

Sendo assim, uma maneira de otimizar a gestão logística e eliminar o peso da manutenção de uma estrutura de transporte própria é aproveitar esses contratos pré-existentes com as empresas de logística e usufruir de todos os benefícios da redução de custos e da facilidade de controle.

Planejar a logística reversa e as políticas de trocas e devoluções

Por mais vantagens que o modelo de marketplace possa oferecer, o lojista que não aplicar métodos de gestão logística adequados poderá colocar tudo a perder e fazer o seu negócio minguar pela insatisfação no quesito entrega de mercadorias (um dos pontos que mais influenciam na experiência de compras virtuais).

Dessa forma, é preciso adotar métodos bem planejados para o controle da logística, estabelecendo políticas e diretrizes relacionadas a situações ordinárias como cumprimento exato dos prazos de entregas e a garantia da integridade do produto durante o transporte.

As situações excepcionais também precisam contar com protocolos preventivos como a troca de mercadorias, desistências, devoluções, enfim todas as atividades de logística reversa. O planejamento é a chave, pois, sem ele não é possível estruturar processos que impactem positivamente a experiência de compra do consumidor.

Utilizar integradoras para gerir múltiplos canais de vendas e controle de estoque

Não é incomum que lojistas participem de várias marketplaces ao mesmo tempo. Essa prática reflete estratégias operacionais baseadas em preferências regionais ou por produto, pois existem marketplaces especializados em determinados nichos de mercado.

De qualquer forma, essa multiplicidade de canais de venda inevitavelmente gera desafios para o controle logístico. Afinal, é preciso ter meios de acompanhar o recebimento de novos pedidos, a efetivação dos pagamentos, a postagem do produto, a confirmação da entrega e a avaliação do grau de satisfação do cliente.

Todos esses pontos de controle se multiplicam junto com a quantidade de canais de vendas adotados. Por isso, para otimizar o controle logístico é recomendado optar pelo uso de integradores de marketplaces.

Integradores são ferramentas que ajudam a controlar o estoque disponível de maneira única entre todas as plataformas de marketplace que o lojista participa. Dessa forma, é possível direcionar os produtos conforme a sua saída, permitindo que o lojista não perca oportunidades de vendas e não encontre conflitos entre as plataformas administradas.

Consegue visualizar a importância da relação entre marketplace e logística para o sucesso dos empreendimentos digitais? Então, aproveite para nos seguir nas redes sociais. Estamos no Facebook, Linkedin, Twitter, Instagram e Youtube.

Powered by Rock Convert
Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

PUBLICADO EM Gestão TAGS:

0 Comentários

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

9 − oito =