Gestão de custos logísticos: o que eu preciso saber sobre o assunto?

Garantir uma boa gestão de custos logísticos é fundamental para manter os processos eficientes, além de garantir bons resultados — como uma lucratividade satisfatória que permita manter a empresa competitiva no mercado.

Gestão de custos logísticos: o que eu preciso saber sobre o assunto?

Essa realidade é ainda mais visível no setor de e-commerce, que depende de uma operação logística eficiente para viabilizar o seu sucesso. Para isso, é preciso conhecer as categorias de custos que existem na operação. Esse aspecto possibilita organizá-los e monitorá-los constantemente, evitando que ultrapassem o limite do ideal.

No post de hoje, vamos falar mais sobre o que são esses custos, como a gestão funciona e os benefícios do seu gerenciamento adequado. Continue com a leitura e confira agora mesmo!

Afinal, o que são os custos logísticos?

Em geral, as empresas que atuam com o comércio eletrônico tendem a terceirizar a atividade de distribuição de mercadorias para operadores logísticos especializados. Essa prática busca ampliar o alcance das entregas e torna esse processo mais eficaz.

Antes, porém, é preciso conhecer como essa operação impacta o desempenho financeiro. Sob o ponto de vista de transportes, os custos logísticos são todos os gastos relacionados às atividades de movimentação de matérias-primas e mercadorias de um negócio.

Entre eles, podemos destacar:

  • a manutenção da frota;
  • a armazenagem dos produtos;
  • os gastos para viabilizar o transporte; e
  • a folha de pagamento referente à contratação de motoristas.

Muitas empresas optam por repassar parte dos custos de entrega para os clientes e cobram uma taxa de frete que é acrescentada ao valor final das compras. Contudo, essa é uma decisão que tem grande influência sobre o volume de vendas e deve ser estudada com cuidado.

Por que a gestão de custos logísticos é tão importante?

A apuração dos custos é uma parte fundamental da gestão de qualquer negócio, seja uma startup, seja uma grande corporação. O que muda de acordo com o ramo de atuação é a distribuição dos custos dependendo do tipo de produto.

Nas empresas que atuam no setor de e-commerce, um dos gastos principais é representado pela logística. Portanto, fazer a gestão de custos logísticos é importante para que os gestores tenham conhecimento sobre os custos envolvidos nas operações.

Aumento da lucratividade

Quando uma empresa deseja aumentar os seus lucros, existem duas posições que podem ser adotadas: aumentar a entrada de receitas ou minimizar os custos. Contudo, somente a segunda opção depende de fatores internos.

Eliminar gastos excessivos e encontrar formas de economizar na operação logística representa a garantia do crescimento da lucratividade. Além disso, permite a revisão dos preços para torná-los mais competitivos em relação ao mercado.

Redução de riscos

A desordem financeira é um dos principais riscos para o estabelecimento de um negócio. Quando não há visibilidade sobre a entrada e saída de recursos, é impossível criar um planejamento financeiro e manter a estabilidade do funcionamento da empresa.

Esse aspecto é ainda mais visível na operação de transportes, que depende de um controle preciso para evitar desperdícios.

Melhoria da produtividade

A redução de custos é um projeto que envolve a reformulação de processos de trabalho com o intuito de simplificar as atividades e reduzir gastos. Com essa análise aprofundada, é possível identificar oportunidades de melhoria significativas.

A partir do momento em que se tem essa noção, a tomada de decisão de melhorias se torna mais direcionada, além de haver a possibilidade de reduzir os gastos sem influenciar na qualidade dos serviços prestados.

Assim, consegue-se aumentar a eficiência dos processos, ampliar o atendimento dos clientes e tornar a empresa cada vez mais competitiva no mercado.

Como colocar a gestão de custos logísticos em prática?

Devido à sua importância para o desempenho financeiro, é fundamental estudar formas de conhecer os gastos em cada aspecto do negócio. É aí que surge a necessidade de planejar e controlar por meio de uma gestão eficaz.

Estude a estrutura de custos

É a separação dos custos e a identificação da participação de cada um deles nos gastos totais da empresa em determinado período. Por meio dela, consegue-se acompanhar a evolução deles nas atividades. Ela pode ser dividida da seguinte forma:

  • suprimentos: custo de aquisição;
  • gestão de estoque: armazenagem (operacional), estoques (imobilizado), ruptura (perda) e embalagens;
  • transporte: entregas (operacional) e gestão de documentos;
  • gestão da frota: aquisição de veículos e manutenção;
  • custos administrativos: mão de obra e material auxiliar;
  • custos financeiros: investimentos em melhorias operacionais.

Utilize a classificação ABC

A metodologia de classificação ABC é uma das ferramentas de gestão de custos mais utilizadas tanto no setor industrial como no varejo e pode ser adaptada para as lojas virtuais.

A sua principal funcionalidade é a capacidade de separar os custos logísticos por produto, fornecedor e cliente. Desse modo, é possível medir a participação de cada venda no lucro final e identificar oportunidades de reduções.

Também é possível identificar se há excedente de estoque que resulte em gastos elevados. Essa medida contribui para uma gestão enxuta que visa a reduzir atividades que não agregam valor ao produto final.

Busque conhecer as metodologias de custeio

Metodologia de custeio é a forma como uma empresa define o preço de venda dos serviços. A ideia é separar os custos fixos dos variáveis e definir a participação deles na precificação final. Basicamente, existem 3 métodos:

  • custeio por absorção: trata-se da apropriação de todos os custos (fixos e variáveis, diretos e indiretos) gerados com o uso dos recursos voltados para a prestação dos serviços. Esses gastos são distribuídos entre as demandas atendidas;
  • custeio variável: o custo final do serviço é a soma dos custos variáveis, dividido pela produção (demandas atendidas), enquanto os custos fixos são considerados diretamente no resultado do exercício;
  • custeio padrão: baseia-se em um custo definido previamente. Ele indica o “custo ideal”, que deve servir de base para controle, conhecimento das variações e análise da eficiência da produção.

Alugue galpões para a distribuição

A utilização de centros de distribuição na operação logística não é novidade. Afinal, a proposta desse imóvel é possibilitar a entrega dos pedidos de forma ágil. Desse modo, o gestor pode aproveitar a sua localização privilegiada para facilitar o acesso aos clientes.

Essa é uma alternativa para descentralizar o gerenciamento das entregas em diversas unidades nas quais os produtos são armazenados e, posteriormente, despachados para o destinatário.

Como podemos ver, a gestão de custos logísticos é fundamental para uma empresa tornar as atividades mais enxutas e, ao mesmo tempo, rentáveis. Isso influencia diretamente na precificação dos serviços, o que ajuda a atrair mais clientes para o negócio. Sendo assim, podemos dizer que uma boa administração dos gastos ajuda a garantir não só a perenidade do negócio, mas também o seu sucesso no mercado.

Gostou do nosso post de hoje? Que tal aproveitar para conhecer como elaborar boas rotas de entrega e, com isso, reduzir custos logísticos?

Avatar

O Blog Logística é um espaço para falar sobre o mercado logístico brasileiro, notícias, opiniões de profissionais reconhecidos e muita informação para você acompanhar tudo bem de perto. Seja bem vindo e boa leitura!

PUBLICADO EM Mercado TAGS:

6 Comentários

  1. Avatar Abel Carvalho disse:

    gostei do blog!
    aqui tem muitas informações importantes.

  2. Avatar Brenda disse:

    Cadê a autoria?

    É importante, principalmente quando o texto tem relevância e se torna uma boa opção para referências em trabalhos acadêmicos

  3. Avatar jucimara disse:

    Gostei do blog!
    Me ajudou muito

COMENTÁRIOS

Deixe o seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 3 =